01

Dez

2014

Diálogo entre pais e filhos é essencial para compreender a segurança

1_Dialogo

A relação entre pais e filhos, especialmente adolescentes, pode ser complicada quando o assunto é a segurança. A demonstração da preocupação de pais e mães pode ser vista de forma negativa pelas crianças e jovens, especialmente perante os grupos de amigos ou colegas de escola. Mas é preciso ter firmeza e manter a postura, sem ceder aos apelos dos filhos por privacidade.

 

A psicóloga clínica Leila Rocca, que trabalha com terapia familiar, afirma que é importante que os pais respeitem o espaço da criança e do adolescente, mas não percam de vista o fato de que vivemos em uma sociedade com certos perigos. Por isso, o diálogo precoce entre pais e filhos é fundamental para que os filhos entendam a necessidade de os pais manterem controle em relação à segurança.

 

“É preciso que haja conversa franca com as crianças desde muito jovens. É preciso conversar, impor limites visando a segurança. Mas também é necessário dar oportunidades para que elas tenham certa autonomia, para que estejam preparadas para o futuro, já que os pais não vão estar junto para sempre”, pondera.

 

Leila afirma que as crianças devem ser observadas de perto pelos pais no início da infância. Na pré-adolescência – ou seja, entre os 11 e os 12 anos – essa autonomia pode começar a ser praticada. Por exemplo, quando o filho quiser ir ao cinema ou passear em um shopping center com colegas, os pais podem levá-los até o local, deixá-los sozinhos e retornar em horário combinado.

 

“Nesse caso, é importante levar e buscar, pois o caminho pode não ser tão seguro. Mas o pré-adolescente não deve ser privado de estar com o grupo de amigos, aproveitando esse momento de lazer sem a presença dos adultos”, destaca.

 

Segundo a psicóloga, os pais vão identificando a evolução da maturidade dos filhos com o passar dos anos. À medida que se desenvolve, a criança ganha maior noção de responsabilidade em relação à segurança. Quando elas compreendem o que os pais explicam, e respeitam o que é pedido – como o cumprimento de horário – podem ganhar mais liberdade para fazer o que querem e gostam.

 

“De toda forma, o diálogo entre pais e filhos é sempre muito importante, e por isso tem de existir sempre. Os pais não podem manter um relacionamento sem conversa na infância e tentar impor alguma coisa na adolescência, pois isso não vai funcionar. Esse vínculo é estabelecido naturalmente, à medida que se desenvolve a partir da conversa”, destaca.

3_Seguranca

Segurança é a segunda maior preocupação dos brasileiros

Levantamento do Datafolha mostra que só a saúde está à frente O Brasil viveu, nos últimos meses, grandes debates para a escolha dos novos [...]

07/12/2014
2015-02-11_11-34-20

Segurança versus privacidade

Com a popularização da internet e das redes sociais, a vida de muitas pessoas acaba ficando muito mais exposta. Hoje, sabe-se os gostos pessoais de [...]

25/02/2015
2015-03-13_10-23-24

Cuidados com filhos e pessoas estranhas

Não dar informações pessoais, rejeitar alimentos e resistir a acompanhar pessoas que não são da confiança da família a qualquer lugar. Essas [...]

13/03/2015
2015-01-16_15-39-57

Brigas entre crianças: o que fazer?

Com as férias, a família passa ainda mais tempo junto. O que fazer então quando as crianças, primos ou irmãos não se entendem em determinadas [...]

28/01/2015